O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, valores intrínsecos à terra e gente de Fafe, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de conhecimento e divulgação da Cultura, História e Tradição de Fafe na esteira do paradigma ético contido na figura do Morgado de Fafe

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Escritor Daniel Bastos apresenta “Terra” em Genebra



No próximo dia 2 de Maio (sábado), o escritor português Daniel Bastos apresenta às 18h00, na Livraria Camões em Genebra, o seu mais recente livro de poesia “Terra”.


A apresentação da obra, uma edição bilingue em Português e Francês, que conta com ilustrações do artista plástico português Orlando Pompeu, cuja obra consta de variadas coleções particulares e oficiais em Portugal, Espanha, França, Alemanha, Inglaterra, Brasil, Estados Unidos, Japão e Dubai, e prefácio do fotógrafo, poeta e pintor francês Gérald Bloncourt, será apresentada por Benjamim Ferreira, antigo Consultor das Nações Unidas e Diretor da Fundação OISTE.


Os poemas do escritor e historiador natural do concelho de Fafe, cujo percurso literário tem sido alicerçado junto das comunidades lusófonas, são marcados por um sentimento telúrico que se reflete numa relação umbilical com a sua terra e na procura do sentido da vida. Segundo Gérald Bloncourt, recentemente condecorado cavaleiro da Ordem Nacional da Legião de Honra francesa, o livro de estreia do autor minhoto no campo da poesia, perscruta as profundezas da humanidade, e os desenhos de Orlando Pompeu, concebidos a partir dos poemas, criam uma simbiose entre a linguagem artística da poesia e pintura.

Refira-se que esta apresentação na livraria portuguesa em Genebra, centro cultural por onde já passaram nomes como Saramago, Fernando Campos, Nuno Júdice ou Vasco Graça Moura, enquadra-se num conjunto de apresentações oficiais do livro “Terra” no espaço francófono europeu, particularmente junto das comunidades lusófonas, no seguimento das apresentações que decorreram nos meses transatos em Paris e Bruxelas. Sendo que esta sessão cultural na Livraria Camões incluirá uma prova de vinho verde, promovida pelos Vinhos Norte, um dos maiores produtores nacionais de vinho verde que procura aliar a tradição de fazer vinho com a inovação no sector.

sábado, 18 de abril de 2015

Passeio cultural e turístico deu a conhecer o concelho de Fafe



No passado sábado (18 de Abril), um grupo de duas dezenas de pessoas oriundas do Grande Porto, Luxemburgo e Bruxelas, deslocaram-se ao concelho de Fafe para desfrutar da beleza paisagística, da gastronomia e da cultura deste município conhecido como a ”Sala de Visitas do Minho”.



O passeio cultural e turístico, foi promovido pela Editora e Livraria Orfeu, um centro de referência da língua portuguesa em Bruxelas, espaço cultural onde o escritor e historiador Daniel Bastos, natural do concelho de Fafe, tem nos últimos anos apresentado obras de sua autoria sobre a história e identidade local junto da comunidade emigrante portuguesa, ensejo que potenciou a organização desta iniciativa que incluiu visitas ao Museu das Migrações e das Comunidades, à empresa Vinhos Norte, à Aldeia do Pontido e ao atelier do mestre - pintor Orlando Pompeu.






Durante a parte da manhã, o grupo, acompanhados pelo historiador Daniel Bastos, o fotógrafo José Pedro Fernandes, e o tradutor Paulo Teixeira, coautores do livro “Fafe – História, Memória e Património”, recentemente galardoado com o Prémio Literário A. Lopes de Oliveira/Estudos Histórico-Sociais de Âmbito Local, teve oportunidade de conhecer o legado arquitetónico brasileiro que caracteriza o centro da cidade, assim como o Museu das Migrações e das Comunidades, espaço cultural onde foi recebido pelo vereador da Cultura do Município de Fafe, Pompeu Martins.

Ainda durante a manhã, o grupo deslocou-se à empresa Vinhos Norte, uma empresa local vocacionada para a produção de Vinhos Verdes, onde visitou as instalações desta unidade que procura aliar a tradição de fazer vinho com a inovação no sector. Refira-se que a empresa Vinhos Norte, através da arquiteta Vera Lima, promoveu na Aldeia do Pontido, um complexo turístico a um pequeno passeio da Barragem da Queimadela, um almoço vínico onde os convivas degustaram a tradicional vitela à moda de Fafe.












A iniciativa cultural terminou no atelier do mestre - pintor Orlando Pompeu, proeminente embaixador cultural de Fafe, tendo o grupo ficado a conhecer melhor o percurso de um dos mais destacados artistas plásticos portugueses da atualidade cuja obra consta de variadas coleções particulares e oficiais em Portugal, Espanha, França, Alemanha, Inglaterra, Brasil, Estados Unidos, Japão e Dubai.

Realçando a importância da iniciativa ao nível da promoção cultural e turística do concelho, em particular da valorização das potencialidades endógenas locais, os promotores deste passeio cultural e turístico anunciaram a realização de novas visitas a Fafe.

terça-feira, 14 de abril de 2015

Aurora de Abril



Quando se aproxima o 41.º aniversário da Revolução de 25 de Abril de 1974, também conhecida como Revolução dos Cravos, uma data de viragem para Portugal que pôs fim ao Estado Novo e abriu caminho para a democracia e a liberdade, revivo o poema que escrevi no meu recente livro de poesia “Terra”, intitulado “Aurora de Abril”, magnificamente ilustrado pelo artista plástico Orlando Pompeu, e que partilho com todos que comungam dos ideais de Abril.
 
Orlando Pompeu, Aurora de Abril, in Terra




Aurora de Abril
 
Floriste nos cravos
vermelhos de abril,
brandindo as fardas
da ditosa revolução
sublevada em canção,
prenúncio primaveril
da almejada liberdade
que durante o negrume
da tirania se exprobrou,
mas que toda uma nação
- o valoroso povo luso
exaurido pela tragédia
e a pérfida soberba
do orgulhosamente sós -
singelamente conquistou.
Cumpra-se Abril então!

in Daniel Bastos, Terra, Editora Converso, 2014

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Prémio literário A. Lopes de Oliveira atribuído a duas obras historiográficas



O Júri do Prémio Literário A. Lopes de Oliveira/Câmara Municipal de Fafe – Estudos Histórico-Sociais de Âmbito Local ou Regional e respeitante a obras publicadas nos anos de 2013 e 2014, deliberou declarar vencedoras as obras João de Araújo Correia – Cronista das Gentes do Douro, de Manuel Joaquim Martins de Freitas e Fafe. História, Memória e Património, de Daniel Bastos e José Pedro Fernandes, que assim repartem o valor do prémio, nos termos do regulamento.




O Júri integrou os Professores José Viriato Capela, docente da Universidade do Minho, José Carlos Meneses e João Carlos Pascoinho, ambos docentes do Instituto de Estudos Superiores de Fafe.

Presidiu, em representação da Câmara, nos termos do regulamento, Artur Coimbra, Chefe da Divisão de Cultura, Desporto e Juventude.

O Prémio Literário A. Lopes de Oliveira/Câmara Municipal de Fafe – Estudos Histórico-Sociais de Âmbito Local ou Regional é atribuído de dois em dois anos e visa estimular a publicação de estudos histórico-sociais das realidades de determinada localidade ou região portuguesa, na perspetiva de valorizar um setor de investigação de crescente importância, no quadro do aprofundamento da matriz regional e local do nosso país.

 Nos termos do regulamento, o valor do prémio é dividido em duas frações iguais, sendo uma para distinguir as obras dirigidas ao território e aos temas fafenses, premiando o investimento sobre o local, enquanto a outra se dirige a estudos sobre as outras localidades e/ou regiões.
 A cerimónia de entrega do Prémio ocorre no próximo dia 25 de abril, no âmbito da sessão solene comemorativa da efeméride.


in maisatual.pt