O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, valores intrínsecos à terra e gente de Fafe, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de conhecimento e divulgação da Cultura, História e Tradição de Fafe na esteira do paradigma ético contido na figura do Morgado de Fafe

quarta-feira, 29 de Outubro de 2014

Alunos da Universidade Sénior do Rotary Club de Fafe visitaram o Museu das Migrações e das Comunidades



No âmbito da disciplina de História Local, lecionada ao longo dos últimos anos em regime de voluntariado pelo historiador Daniel Bastos na Universidade Sénior do Rotary Club de Fafe, alunos desta instituição vocacionada para a ocupação dos tempos livres numa aprendizagem constante de matérias diversificadas, visitaram na passada terça-feira (28 de Outubro) o Museu das Migrações e das Comunidades.



A visita ao Museu das Migrações e das Comunidades, sediado na Casa Municipal da Cultura de Fafe, idealizado pelo saudoso mestre Miguel Monteiro e instituído pelo Município de Fafe, e que funda a sua existência no estudo e preservação do universo migratório, foi conduzida pelo investigador Artur Coimbra, Chefe de Divisão da Cultura e Desporto na edilidade local.



Refira-se, que esta vista escolar da Universidade Sénior do Rotary Club de Fafe, integra-se no conjunto de aulas práticas e teóricas delineadas no âmbito da disciplina de História Local, essencialmente dedicadas no ano letivo 2014/2015 à temática da influência dos “brasileiros de torna-viagem” no concelho de Fafe.




quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

História de Fafe abordada em Congresso Internacional no Brasil

O historiador Daniel Bastos participou no passado dia 21 de Outubro (terça-feira), no III Encontro da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, que decorreu na Universidade Presbiteriana Mackenzie em São Paulo no Brasil.



No âmbito do evento, dedicado à temática “arquitetura, cidade e projeto: uma construção coletiva”, e que teve como principal objetivo discutir, de modo transversal, interdisciplinar e inovador, a dimensão estratégica do projeto, bem como os desdobramentos que articulam teoria e prática e integram os processos históricos e socioculturais que produzem a arquitetura e a cidade, o historiador natural do concelho de Fafe apresentou uma comunicação intitulada “Fafe – Uma cidade portuguesa construída pelos brasileiros de torna-viagem na transição do século XIX para o XX”.








Durante a sua comunicação neste Congresso Internacional que se assume como um dos principais eventos da área de arquitetura e urbanismo do Brasil, e que reuniu na maior metrópole lusófona do mundo, arquitetos e historiadores latino-americanos e europeus, o investigador que integra uma rede luso-brasileira de estudo dos Hospitais da Beneficência Portuguesa, evidenciou o papel coletivo que os brasileiros de torna-viagem desempenharam na construção contemporânea do concelho de Fafe.

Mormente, como se deveu à emigração transatlântica oitocentista a construção em Fafe das primeiras moradias apalaçadas, dos primeiros polos industriais, das primeiras escolas e asilos, do Jardim Público, da Associação Humanitária dos Bombeiros, do Teatro-Cinema e do Hospital de São José, idealizado na linha arquitetónica do Hospital da Beneficência Portuguesa do Rio de Janeiro.

No decurso dos trabalhos do Congresso Internacional, que contou com um total de 380 trabalhos submetidos para as sessões de comunicação, o investigador licenciado em História pela Universidade de Évora, e Pós-Graduado em Ética e Filosofia Politica pela Universidade Católica Portuguesa, apresentou o seu último livro “Fafe – História, Memória e Património”, uma obra trilingue, que se assume como um cartão-de-visita do concelho de Fafe, resultado da parceria entre o historiador, o fotógrafo José Pedro Fernandes e o tradutor Paulo Teixeira.

Refira-se que a obra, que foi bem recebida pela comunidade de investigadores presentes no evento, e que contou na sessão de apresentação com a presença de emigrantes naturais de Fafe radicados em São Paulo, passará a ser comercializada na maior cidade lusófona do mundo pela livraria BOOKSTORE, uma livraria brasileira especializada em arte, cultura, arquitetura e urbanismo.




Saliente-se ainda, que o historiador fafense que ao longo do presente ano já apresentou o seu último livro “Fafe-História, Memória e Património” junto da comunidade emigrante portuguesa em Paris, Bruxelas e Toronto, na manhã do dia 21 de Outubro (terça-feira) foi recebido e visitou o Museu da Santa Casa da Misericórdia de São Paulo, uma instituição privada considerada o maior hospital filantrópico da América Latina.
Correio do Minho (2014-10-24)

Notícias de Fafe (2014-10-24)

sábado, 11 de Outubro de 2014

Historiador Daniel Bastos participa em Congresso Internacional no Brasil



O historiador português Daniel Bastos participa entre os dias 20 e 24 de Outubro, no III Encontro da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, que decorrerá na Universidade Presbiteriana Mackenzie em São Paulo no Brasil.
 
Daniel Bastos



No âmbito do evento, dedicado à temática “arquitetura, cidade e projeto: uma construção coletiva”, e que tem como principal objetivo discutir, de modo transversal, interdisciplinar e inovador, a dimensão estratégica do projeto, bem como os desdobramentos que articulam teoria e prática e integram os processos históricos e socioculturais que produzem a arquitetura e a cidade, o historiador natural do concelho de Fafe apresentará uma comunicação intitulada “Fafe – Uma cidade portuguesa construída pelos brasileiros de torna-viagem na transição do século XIX para o XX”.
 
Cartaz - III ENANPARQ



Durante a sua comunicação no Congresso Internacional, que reunirá na maior metrópole lusófona do mundo, arquitetos e historiadores latino-americanos e europeus, o investigador que integra uma rede luso-brasileira de estudo dos Hospitais da Beneficência Portuguesa, evidenciará o papel coletivo que os brasileiros de torna-viagem desempenharam na construção deste concelho do Baixo Minho. Designadamente, como se deve à emigração transatlântica oitocentista a construção em Fafe das primeiras moradias apalaçadas, dos primeiros polos industriais, das primeiras escolas e asilos, do Jardim Público, da Associação Humanitária dos Bombeiros, do Teatro-Cinema e do Hospital de São José, idealizado na linha arquitetónica do Hospital da Beneficência Portuguesa do Rio de Janeiro.

Capa do Livro

Refira-se que no decurso dos trabalhos do Congresso Internacional, o investigador licenciado em História pela Universidade de Évora, e Pós-Graduado em Ética e Filosofia Politica pela Universidade Católica Portuguesa, apresentará o seu último livro “Fafe – História, Memória e Património”, uma obra trilingue, resultado da parceria entre o historiador minhoto, o fotógrafo José Pedro Fernandes e o tradutor Paulo Teixeira, e que conta com prefácio do fotógrafo francês Gérald Bloncourt. Desde o seu lançamento no final do ano transato, este livro que transmite uma imagem global e fundamentada da evolução do concelho de Fafe, foi já apresentado nas principais cidades portuguesas, assim como junto da comunidade emigrante portuguesa em França, no Consulado de Portugal em Paris, na Bélgica, na Livraria Orfeu em Bruxelas, e no Canadá, na Casa do Alentejo em Toronto.

sábado, 4 de Outubro de 2014

Artistas de Fafe marcaram presença na 4ª edição do Guimarães noc noc



A 4.ª edição do Guimarães noc noc, um evento que visa a promoção e divulgação de arte, produzido e realizado pela Ó da Casa! Associação Cultural, tornaram a transformar no fim-de-semana passado(4 e 5 de Outubro), o berço de Portugal numa enorme galeria de arte.
Como nas edições anteriores o Guimarães noc noc criou uma mostra alternativa onde o público pode ver arte em espaços não institucionais. A arte foi exposta nas casas, ateliers, ruas e espaços comerciais e associativos, dando ao público a possibilidade de um contato direto com a arte e o artista.

A participação este ano de artistas naturais do concelho de Fafe neste evento cultural que se assume cada vez mais no país, e que implica um envolvimento e partilha de responsabilidade por parte dos artistas e do público, foi seguramente das maiores. Destacando-se a participação das artistas locais Isabel Brites, Ana Lobo e Sandra Novais (Projeto Minds of Nowhere) com uma instalação na Rua Gravador Molarinho; a pintora Sandra Novais com uma exposição de pintura no Circulo de Arte e Recreio; a artista Telma Mota com joalharia contemporânea de autor no Tribunal da Relação; o artista Renato Marinho com um conjunto de desenhos em t-shirts no Tribunal da Relação; o pintor Tiago Castro com uma exposição na Casa Divina Gula; a artista Isabel Alves com uma instalação no Tribunal da Relação; e a pintora Délia de Carvalho com uma exposição/instalação sonora no Cineclube de Guimarães.


Isabel Brites, Sandra Novais e Ana Lobo

Tiago Castro
Telma Mota

Délia de Carvalho

Isabel Alves
Sandra Novais

 Renato Marinho

Refira-se que as artistas locais Isabel Alves e Délia de Carvalho, fazem parte inclusivamente do coletivo da Associação cultural Ó da casa, uma associação que surgiu com a criação do “Guimarães noc noc”,e que o seu coletivo dedica-se à promoção das artes e artistas desenvolvendo projetos de âmbito cultural.

domingo, 14 de Setembro de 2014

7.º Encontro Nacional de Folclore em Cepães



O Rancho Folclórico da Casa do Povo de Cepães organiza no próximo sábado, dia 20 de Setembro, a partir das 20:30, o 7.º Encontro Nacional de Folclore que decorrerá na Casa do Povo de Cepães.

Com o apoio da Junta de Freguesia de Cepães, e o Município de Fafe, deslocam-se este ano a Cepães, uma freguesia do concelho de Fafe com intensa atividade industrial e aptidão agrícola, o Rancho Folclórico de Santa Maria de Canedo de Basto (Celorico de Basto), o Rancho Folclórico do CCR de Moreira de Cónegos (Guimarães), o Rancho Folclórico de Santa Marinha de Mogege (Vila Nova de Famalicão), o Rancho Folclórico e Cultural de S. Julião (Valença do Minho), e o grupo anfitrião, o Rancho Folclórico da Casa do Povo de Cepães (Fafe).

A promoção do 7.º Encontro Nacional de Folclore na freguesia de Cepães assume como principal objetivo promover e valorizar a etnografia e as tradições populares da freguesia de Cepães e do concelho de Fafe.