Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

POEMA - Terra



Com o aproximar da entrada do novo ano, para o qual faço votos sinceros que seja um ano que nos guie no rumo da Esperança e Solidariedade, revivo o poema  “Terra”,  que dá título ao meu primeiro livro de poesia, magnificamente ilustrado pelo mestre-pintor Orlando Pompeu.

 
Desenho - Orlando Pompeu in Terra

Terra

A minha terra é o meu berço.
Um torrão de gentes e valores
forjados nos fragmentos da história,
argamassa da memória,
fonte de inspiração
e desígnio do meu amor.
Escopo da minha dedicação,
nela cresci, fiz-me homem,
sorvi o húmus da identidade
descobri as raízes da existência
a vida fraterna em comunidade.
A minha terra, a nossa terra
é o principio de algo sem fim,
pão que alimenta a alma
saudade que diminui a distância
e impele o que há em mim.

Daniel Bastos, in Terra.

sábado, 24 de dezembro de 2016

Feliz Natal e um Bom Ano Novo



Um sincero desejo para todos os amigos, colegas, conterrâneos e compatriotas espalhados pelos quatro cantos do Mundo de um Feliz Natal e um Bom Ano Novo, com o desígnio que nas noites frias de Inverno o calor da nossa amizade aqueça os nossos corações, e nos guie no rumo da Esperança e Solidariedade.
Battolomé Esteban Murtillo - A Adoração dos Pastores (1650)

domingo, 11 de dezembro de 2016

Livro sobre a emigração portuguesa apresentado em Coimbra



No passado sábado (10 de dezembro), foi apresentado em Coimbra o livro Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”.
 
O historiador Daniel Bastos (esq.) acompanhado do sociólogo Pedro Góis na sessão de apresentação do livro sobre a emigração portuguesa em Coimbra
O livro, concebido e realizado pelo historiador Daniel Bastos a partir do espólio do conhecido fotógrafo que imortalizou a história da emigração portuguesa para França nos anos de 1960, foi apresentado na FNAC de Coimbra, numa sessão que esteve a cargo do sociólogo Pedro Góis, professor na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e investigador do Centro de Estudos Sociais na área das Migrações Internacionais.


No decurso da sessão, Pedro Góis qualificou o livro, que se encontra traduzido para português e francês pelo docente Paulo Teixeira, e é prefaciado pelo multipremiado ensaísta Eduardo Lourenço, como um “livro de memórias fundamentais para a compreensão da emigração portuguesa da segunda metade do séc. XX”.




A sessão de apresentação em Coimbra incluiu a inauguração de uma exposição fotográfica evocativa da ligação de Gérald Bloncourt a Portugal, que estará durante os próximos três meses patente ao público na cidade dos estudantes. 






Agenda Fnac Coimbra - Leiria - Viseu (01-18 dez.2016)

Refira-se que esta obra, que reúne testemunhos e imagens originais como as que fotógrafo francês de origem haitiana realizou sobre os emigrantes lusitanos nos bidonvilles dos arredores de Paris nos anos 60, foi também já apresentada nas capitais de distrito de Braga, Porto e Lisboa, assim como junto das comunidades portuguesas em Paris, Luxemburgo e Toronto.