Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma atitude proativa perante o mundo. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente. Nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor, historiador, professor e político minhoto, natural de Fafe, Daniel Bastos.

sexta-feira, 30 de março de 2018

PS-Fafe participou no XVIII Congresso Distrital Federativo


Realizou-se no passado dia 24 de março, em Cabeceiras de Basto, o XVIII Congresso Distrital Federativo do PS. O Partido Socialista de Fafe, uma das maiores secções a nível distrital levou a este Congresso Federativo 46 delegados adstritos à moção estratégia “Fortalecer o partido, afirmar o distrito”, liberada por Joaquim Barreto, recentemente reeleito Presidente da Federação Distrital do PS de Braga. 


No decurso dos trabalhos do Congresso Distrital, que aprovaram as listas aos órgãos dirigentes adstritas à moção estratégia “Fortalecer o partido, afirmar o distrito”, e durante os quais o líder do PS-Fafe, Daniel Bastos, foi vice-presidente da Mesa, a estrutura socialista local integrou vários dos seus militantes nos órgãos distritais do Partido Socialista.
 
Durante a sua intervenção no XVIII Congresso Distrital Federativo do PS, o líder do PS-Fafe, Daniel Bastos, reafirmou o apoio político ao Presidente da Federação Distrital do PS de Braga, Joaquim Barreto, e a intenção de trabalhar de forma articulada com a estrutura distrital em prol da afirmação do PS a nível concelhio, distrital e nacional

Para a Comissão Política da Federação, órgão deliberativo máximo entre Congressos que estabelece a linha de atuação do partido a nível distrital, a estrutura socialista local viu serem eleitos 5 elementos efetivos, designadamente, Daniel Bastos, Carlos Cunha, Licínio Gonçalves, Alexandra Gonçalves e Natália Mendes, assim como 3 elementos suplentes, respetivamente, Paulo Fernandes, António Teixeira Alves e Cristina Leite. 

A concelhia viu ainda ser integrado como membro efetivo da Comissão Federativa de Fiscalização Económica e Financeira, órgão que fiscaliza a gestão económica e financeira do partido, Augusto Sousa, e como membro suplente, Alexandra Soares. 

Refira-se que no Congresso Distrital Federativo do PS-Braga, estiveram presentes o Secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, o Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel João de Freitas, o Secretário de Estado Adjunto e do Comércio, Paulo Ferreira, e o Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nuno Santos, a quem coube encerrar os trabalhos.


segunda-feira, 26 de março de 2018

Pedro da Silva, o primeiro carteiro do Canadá


Uma das maiores nações do mundo em área total, o Canadá preserva uma história prodigamente ligada à emigração portuguesa que se manifesta na atualidade na presença neste país, que ocupa grande parte da América do Norte, de mais de meio milhão de luso-canadianos, sobretudo concentrados em Ontário, Quebeque e Colúmbia Britânica.

Ainda que a emigração portuguesa para o Canadá só tenha alcançado expressão a partir do início da segunda metade do séc. XX, a presença de portugueses neste território que se estende desde o oceano Atlântico, a leste, até ao Oceano Pacífico, a oeste, e é limitado a norte pelo Oceano Ártico, e a sul e a noroeste possui fronteira terrestre com os EUA, remonta ao início do séc. XVI.

Essa presença antiga de portugueses no Canadá encontra-se paradigmaticamente condensada na figura de Pedro da Silva, personagem histórica lusa que chegou entre 1672 e 1673 à Nova França, onde hoje se localiza a província do Quebeque, tendo depois sido responsável pelas primeiras expedições de correio do país.

A história do português Pedro da Silva encontra-se profusamente apreendida pela comunidade luso-canadiana. Como comprova por exemplo, o documentário histórico de homenagem ao primeiro carteiro do Canadá, realizado pelo produtor e realizador Bill Moniz, a biografia histórica assinada pelo investigador lusodescendente Carlos Taveira, ou a iniciativa dos Serviços Postais canadianos que lhe dedicaram no princípio do séc. XX um selo.

Os vários olhares sobre Pedro da Silva, que nasceu em Lisboa em 1647 e faleceu a 2 de agosto de 1717, registam que nos primórdios do séc. XVIII, o carteiro de origem lusa assegurava a entrega de cartas e pacotes postais entre Montreal e o Quebeque, naquela foi a primeira expedição de correio no Canadá. Existem, inclusivamente, registos que Pedro da Silva efetuou o transporte de correio e mercadorias pelo rio São Lourenço durante a guerra entre a França e os iroqueses, um grupo nativo que apoiava o império inglês, contexto que terá contribuído nesse período para o que o rei francês Luís XIV o tenha nomeado como "Mensageiro Real" na Nova França. 

Conhecido como "Le Portugais", Pedro da Silva é um dos mais insignes antepassados da comunidade portuguesa no Canadá, uma comunidade que se destaca hodiernamente pela sua relevante integração, empreendedorismo e papel económico e sociopolítico. 

terça-feira, 20 de março de 2018

Rádio Alfa, a emissora dos portugueses em Paris


No ar desde 5 de outubro de 1987, a Rádio Alfa, uma estação de rádio lusófona situada em Paris e dirigida à comunidade portuguesa em França, a maior comunidade de portugueses no estrangeiro, desempenha um papel fundamental na manutenção e promoção da identidade lusa em terras gaulesas. 

Localizada atualmente em Créteil, é consensualmente reconhecida como a emissora mais popular dos portugueses em Paris, para o que muito contribui o facto de ser a única rádio da comunidade portuguesa que abrange a região de França, 24 horas por dia. 

Se tivermos em linha de conta que os dados mais recentes apontam para que vivam em França mais de meio milhão de portugueses e que, se considerarmos a comunidade contando com os descendentes de segunda e terceira geração, o número sobe para quase 1 milhão e meio, elevando-a assim à maior comunidade estrangeira a viver em França, percebe-se que a Rádio Alfa além de emitir para um enorme auditório, constitui-se como a voz de intervenção da comunidade portuguesa na Cidade Luz.   
Enquanto palco privilegiado de intervenção, a grelha da estação emite programas que dedicam espaços à resolução de problemas, à promoção da música, cultura e língua portuguesa, à divulgação das atividades realizadas pelo meio associativo e à difusão de notícias que visam a informação junto da comunidade portuguesa em França.

Como sustenta Carla Laureano, na tese A rádio Alfa e a comunidade portuguesa em França: estudo de caso sobre a relação entre média e identidades, a emissora ao desempenhar um papel importante junto da comunidade portuguesa em terras gaulesas, impulsiona a “partilha de uma identidade cultural portuguesa entre os emigrantes”. Particularmente junto da primeira geração, uma geração que se encontra intimamente ligada à Rádio Alfa, pelo que a emissora deve ter como uma das prioridades e desafios para o futuro a sua interligação com os lusodescendentes, de modo a conseguir “fazer um cruzamento de culturas e tentar direccionar-se para as diferentes expectativas dos seus diferentes ouvintes”.

No passado, e sobretudo no presente e no futuro, a Rádio Alfa continuará a ser a antena da comunidade portuguesa em Paris, ou como salientou o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no 30.º aniversário da estação, a “ Rádio Alfa é Portugal".