Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Feliz Natal e um Bom Ano Novo



Um sincero desejo para todos os amigos, colegas, conterrâneos e compatriotas espalhados pelos quatro cantos do Mundo de um Feliz Natal e um Bom Ano Novo, com o desígnio que nas noites frias de Inverno o calor da nossa amizade aqueça os nossos corações, e nos guie no rumo da Esperança e Solidariedade.

Battolomé Esteban Murtillo - A Adoração dos Pastores (1650)

domingo, 20 de dezembro de 2015

Guimarães foi palco de apresentação do livro “Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”



No passado sábado (19 de dezembro), foi apresentado na “cidade berço” de Portugal  o livro Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”.


A obra, concebida e realizada pelo historiador Daniel Bastos a partir do espólio do conhecido fotógrafo que imortalizou a história da emigração portuguesa para França nos anos 60, foi apresentada no Fóum da FNAC em Guimarães, numa sessão que contou com a presença de muito público e que esteve a cargo do antigo Presidente da Federação das Associações Portuguesas de França, José Machado.

Com chancela da Editora Converso, o livro traduzido para português e francês pelo docente Paulo Teixeira, e prefaciado pelo ensaísta e pensador Eduardo Lourenço, reúne memórias, testemunhos e mais de centena e meia de fotografias originais da maior importância para a história portuguesa do último meio século. Como a é o caso das imagens históricas que o fotógrafo de 89 anos captou sobre a vida dos emigrantes portugueses nos bidonvilles de Paris, e que já integraram várias exposições em Portugal e França. 








No decurso da sessão, José Machado, antigo Presidente do Conselho das Comunidades Portuguesas, e da Federação das Associações Portuguesas de França, elogiou o percurso de vida e profissional do fotógrafo Gerald Bloncourt, titular da Ordem Nacional da Legião de Honra francesa, a mais alta distinção civil de França, assegurando que “este livro é um importante contributo para a história e memória da emigração portuguesa para França”.
Refira-se que o livro é apoiado por duas dezenas de empresas representativas do tecido económico luso-francês: Companhia de Seguros Fidelidade em Paris, E.Leclerc, Quinta de Naíde, Pensiltex, RTL, Imagine o Prestígio, Aluminel, Almeca, Ramiro&Carvalho, Norchapa, Leets, ERA, Vinhos Norte, Quinta do Labaçoso, LS Opticas, Berci, Fiscofafe, Fafetur, Luciano Correia Seguros, Transnos e Citroen.









No início de 2016 estão agendadas várias sessões de apresentação da obra junto das comunidades portuguesas residentes no estrangeiro, em particular da numerosa comunidade portuguesa radicada em Paris, uma sessão carregada de grande simbolismo que contará com a presença do fotógrafo que durante mais de vinte anos escreveu com luz a vida dos portugueses em França e em Portugal.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Apresentação na cidade berço de Portugal do livro “Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”



No próximo dia 19 de dezembro (sábado), é apresentada em Guimarães a obra Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”.

O livro, concebido e realizado pelo historiador Daniel Bastos a partir do espólio do conhecido fotógrafo que imortalizou a história da emigração portuguesa para França nos anos de 1960, é apresentada às 21h00 no no Fórum da FNAC em Guimarães, cidade historicamente associada à fundação da nacionalidade e identidade Portuguesa.


Gérald Bloncourt ladeado pelo historiador Daniel Bastos (dir.) e pelo tradutor Paulo Teixeira (esq.)


Convite

A apresentação do livro com chancela da Editora Converso, uma edição bilingue traduzida para português e francês pelo docente Paulo Teixeira, que conta com prefácio do ensaísta e pensador Eduardo Lourenço, estará a cargo do antigo Presidente da Federação das Associações Portuguesas de França, José Machado.

Além das fotografias históricas que Gérald Bloncourt captou sobre a vida dos emigrantes portugueses nos bidonvilles dos arredores de Paris, a obra reúne igualmente memórias, testemunhos e imagens originais que o fotógrafo francês de origem haitiana realizou durante a sua primeira viagem a Portugal na década de 1960, onde retratou o quotidiano das cidades de Lisboa, Porto e Chaves, assim como as da viagem a “salto” que fez com emigrantes portugueses além Pirenéus, e as das comemorações do 1.º de Maio de 1974 em Lisboa.
 
Capa do Livro

Segundo Daniel Bastos, a edição do espólio fotográfico de Gérald Bloncourt, composto por um conjunto de centena e meia de imagens da maior importância para a história portuguesa do último meio século, é “um convite a uma viagem de redescoberta de um país e de um povo entre os povos”.

Para Eduardo Lourenço, intelectual que assina o prefácio do livro, os retratos de Gérald Bloncourt sobre a emigração portuguesa para França nos anos 60 “salvaram do esquecimento” a saga dos portugueses em busca de melhores condições de vida.

Refira-se que a obra é patrocinada por empresas representativas do tecido socioeconómico luso-francês, designadamente, a Companhia de Seguros Fidelidade em Paris, Hipermercado E.Leclerc, Quinta de Naíde, Pensiltex, RTL, Imagine o Prestígio, Aluminel, Almeca, Ramiro&Carvalho, Norchapa, Leets, ERA, Vinhos Norte, Quinta do Labaçoso, LS Opticas, Berci, Fiscofafe, Fafetur, Luciano Correia Seguros, Transnos e Citroen.
 
Contra-capa do Livro

Além de fotógrafo, Gérald Bloncourt é pintor e poeta, tendo participado na criação do Centro de Arte Haitiana (1944) e publicado vários livros, com destaque para “Le Paris de Gérald Bloncourt” (2010), foi no início deste ano condecorado cavaleiro da Ordem Nacional da Legião de Honra francesa, a mais alta distinção civil de França.

Com diversas participações em conferências nacionais e internacionais, assim como livros publicados no domínio da História Local e da História Contemporânea, Daniel Bastos exerce atualmente atividades docentes no Colégio João Paulo II e na Cooperativa de Ensino Didáxis, instituições de referência no campo do ensino particular e cooperativo no norte de Portugal.

O tradutor Paulo Teixeira, especialista em Administração Educacional com experiência profissional no Centro Europeu de Línguas, colabora regularmente na publicação de várias obras com a tradução de textos, em prosa e em verso, para Francês e para Inglês.

sábado, 5 de dezembro de 2015

Livro “Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores” lançado em Portugal



Na passada sexta-feira (4 de dezembro), foi lançado em Portugal o livro Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”.



A obra, concebida e realizada pelo historiador português Daniel Bastos a partir do espólio do conhecido fotógrafo que imortalizou a história da emigração portuguesa para França nos anos 60, foi apresentada em Fafe, cidade que alberga o Museu das Migrações e das Comunidades, numa sessão que encheu por completo o auditório da Biblioteca Municipal e que esteve a cargo da conhecida socióloga das migrações Maria Beatriz Rocha – Trindade.
Além das imagens históricas que o fotógrafo de 89 anos captou sobre a vida dos emigrantes portugueses nos bidonvilles de Paris, que já integraram várias exposições em Portugal e França, a obra traduzida para português e francês pelo docente Paulo Teixeira, e prefaciada pelo consagrado ensaísta e pensador Eduardo Lourenço, reúne memórias, testemunhos e mais de centena e meia de fotografias originais da maior importância para a história portuguesa do último meio século






Impossibilitado de estar presente na sessão de lançamento, o fotógrafo francês, cavaleiro da Ordem Nacional da Legião de Honra francesa, a mais alta distinção civil de França, enviou uma mensagem afirmando: “as fotografias do livro do meu amigo Daniel Bastos são testemunho da aventura extraordinária que passei ao lado dos emigrantes portugueses que partiram para França entre 1954 e 1974. Agradeço ao Daniel Bastos, ao Paulo Teixeira, ao Eduardo Lourenço, à Conceição Tina, à Maria Beatriz Rocha-Trindade, e a todos que apoiaram este livro de registo de momentos inesquecíveis de dignidade e fraternidade com os filhos dos grandes descobridores”. 

No decurso da sessão, Maria Beatriz Rocha – Trindade, autora de uma vasta bibliografia internacional sobre matérias relacionadas com as migrações, afirmou que embora sendo um olhar retrospetivo sobre o fenómeno da emigração portuguesa, a obra mantém plena atualidade e pertinência perante o drama dos migrantes e refugiados que comove a Europa.









Refira-se que a obra é patrocinada por duas dezenas de empresas representativas do tecido socioeconómico luso-francês. Como o Hipermercado E.Leclerc, rede de hipermercados de origem francesa que irá comercializar a obra em várias superfícies comerciais em Portugal, estando agendado para 12 de dezembro (sábado) a apresentação do livro no E.Leclerc de Chaves, distrito de Vila Real.

O livro será também comercializado pela cadeia de lojas FNAC, estando agendado para 19 dezembro (sábado) às 21h00 a apresentação da obra na FNAC em Guimarães, e no dia 22 de janeiro (sábado) às 21h30 na FNAC em Braga, sessão que assinalará a inauguração de uma exposição fotográfica evocativa da ligação de Gérald Bloncourt a Portugal e que circulará de três em três por todos os espaços culturais da FNAC no território nacional.

No início de 2016 estão agendadas várias sessões de apresentação da obra junto das comunidades portuguesas residentes no estrangeiro, em particular da numerosa comunidade portuguesa radicada em Paris, uma sessão carregada de grande simbolismo que contará com a presença do fotógrafo que durante mais de vinte anos escreveu com luz a vida dos portugueses em França e em Portugal.