Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Maresia

Na imensidão infinita do mar
contemplo o horizonte da esperança
almejo a constância das rochas
exalo a brisa marítima
apreendo a fúria das ondas
sonho com castelos de areia
recordo um passado glorioso
aquieto o desnorte do presente
renovo a crença no futuro da nossa existência colectiva.


Daniel Bastos

 Amadeo de Souza-Cardoso. A chalupa, 1914. Pintura. Óleo sobre Tela. 


segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Aboim, Fafe, festejou em grande a publicação das suas memórias e tradições em livro

Na passada noite, do dia 8 de agosto, o centro da aldeia de Aboim, em Fafe, engalanou-se festivamente para receber a apresentação da monografia «Santa Maria de Aboim, o Olhar Sincero do Minho».


Com coordenação do professor Carlos Afonso, a monografia deu-se a conhecer a muitas dezenas de aboinenses e outros tantos visitantes que fizeram questão de estar presentes.
«Santa Maria de Aboim, o olhar sincero do Minho» apresenta toda uma estrutura inovadora, tendo em conta que se está a falar de uma monografia. Na verdade, toda a dinâmica da obra mostra a história, a paisagem, as memórias, as tradições, a ficção e variados testemunhos em primeira pessoa interligados de uma forma perfeita. Prefaciada pelo Presidente da Câmara, Dr. José Ribeiro, a publicação resulta de uma coautoria de vários autores de Fafe. Assim, a nível da história, conta com os investigadores Daniel Bastos, Artur Leite e Artur Coimbra. A nível da antropologia, monumentos e arqueologia, encontram-se trabalhos do Dr. Jorge Miranda e de Jesus Martinho. Quanto à imagem e fotografia, Jesus Martinho, Manuel Meira e António Novais mostram o que de bom existe naquelas terras. No que diz respeito à narrativa, e para além de vários testemunhos de vida em primeira pessoa, uma novela do escritor Carlos Afonso espraia-se por grande parte do livro, sempre interligada com o que se vai desenvolvendo. Também o trabalho dos jovens João Marques e Hugo Novais, no âmbito da técnica e investigação enriquecem a monografia. A paginação e impressão estiveram a cargo de Manuel Carneiro da Gráfica do Norte – Amarante. A edição é da Junta de Freguesia e conta com o apoio da Câmara Municipal de Fafe.






 
A noite de 8 de agosto, para além da apresentação do livro, contou com um interessante e participado evento cultural, todo ele construído com a população da freguesia de Aboim, sob orientação técnica dos jovens Hugo Novais e João Marques, a partir de um guião assinado por Carlos Afonso. De cariz religioso e profano, todo o acontecimento cultural se centrou nas tradições, usos e memórias de um povo que habita estas paragens, fazendo-se, assim, a evocação de um passado, ainda bem presente. O misticismo da Senhora das Neves, a fé em Santa Maria, a música das concertinas, os cantares ao desafio, as recriações e testemunhos de vida foram os itens essenciais parta tamanho sucesso.
Para todos os presentes, a noite de quinta-feira foi mágica e única, prova evidente de que uma cultura participada e genuína, em comunhão com as populações, instituições, associações, juntas e município é um caminho útil a seguir.
Parabéns a todos os participantes nestas manifestações culturais, principalmente à Junta de Freguesia de Aboim que muito tem feito pelo futuro do Minho profundo.

Fotografias – Jesus Martinho
Correio do Minho (2013-08-13)
 

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

No dia 8 de agosto, a cultura e a tradição andam à solta em Aboim…


No próximo dia 8 de agosto, quinta-feira, pelas 21h, Aboim será o palco perfeito para um singular evento cultural repleto de tradição, alma, coração, pureza, esperança e povo.
Nesta grande noite para a freguesia de Aboim e para Fafe, dois são os argumentos mais que suficientes para que esta bela aldeia serrana seja o ponto de chegada de todos os que amam o Minho profundo e sincero.
Primeiramente, será apresentada a Monografia «Santa Maria de Aboim, o olhar sincero do Minho», para de seguida se assistir a um acontecimento especial e único, onde a realidade, o misticismo, a força do povo e a ficção se mostram na sua plenitude.

 
No que diz respeito à monografia «Santa Maria de Aboim, o olhar sincero do Minho», coordenada pelo professor Carlos Afonso, é de salientar a originalidade e a variedade de títulos deste livro prefaciado pelo senhor Presidente da Câmara, Dr. José Ribeiro. Para além da história da Freguesia, o leitor poderá encontrar várias experiências de vida em primeira pessoa, paisagem, etnografia, lendas e outros ingredientes, perfeitamente guiados por uma bela história de amor que duas personagens intemporais vivem. Nesta construção, em que vários livros se abrem dentro de um outro livro, poder-se-á constatar que não há apenas um autor, mas sim uma coautoria, onde se podem vislumbrar vários criadores fafenses, ligados a diferente áreas.

No âmbito da História, é de assinalar a participação dos historiadores e investigadores Daniel Bastos (Emigração para o Brasil), Artur Leite (Contributos para a história de Aboim) e Artur Coimbra (Emigração para França). A nível da antropologia, monumentos e arqueologia, encontram-se trabalhos do Dr. Jorge Miranda e de Jesus Martinho. Quanto à imagem e fotografia, Jesus Martinho, Manuel Meira e António Novais mostram o que de bom existe naquelas terras. No que diz respeito à narrativa, e para além de vários testemunhos de vida em primeira pessoa, uma novela de Carlos Afonso espraia-se por grande parte do livro, sempre interligada com o que se vai desenvolvendo. Também o trabalho dos jovens João Marques e Hugo Novais, no âmbito da técnica e investigação, contribuíram, e em muito, para a totalidade construtiva da monografia. A paginação e impressão estiveram a cargo do experiente Manuel Carneiro da Gráfica do Norte – Amarante. A edição é da Junta de Freguesia e conta com o apoio da Câmara Municipal de Fafe.

No que diz respeito ao segundo momento da noite, o evento «A nossa terra e a nossa gente», imbuído na máxima «Aboim, todo um mundo para descobrir», todos os presentes poderão viajar no tempo e no espaço, de mãos dadas com um povo resistente e genuíno. O alinhamento do que vai acontecer junto à igreja de Aboim, está escrito nas estrelas, na espontaneidade e na vivência das muitas personagens participantes. Este momento de cultura e de amor ao que é nosso só poderá ser verdadeiramente entendido se for vivenciado no local.

  Esta noite especial para as terras de Aboim, Lagoa, Mós, Figueiró, Barbeira e Fafe está a ser preparada por toda uma população qua ama o que é seu, ajudada por muitos amigos.

Na noite de 8 de agosto, vá a Aboim, redescubra memórias e certezas que ainda permanecem dentro de cada um de nós e fascine-se com as surpresas naturais que por lá irá encontrar.



quinta-feira, 1 de agosto de 2013

XVI Encontro de Emigrantes Fafenses


No âmbito do programa do XVI Encontro de Emigrantes Fafenses, promovido anualmente pela Câmara Municipal de Fafe, terá lugar no próximo dia 9 de agosto a sessão de lançamento e divulgação de publicações relativas à emigração.

 
O programa do evento inicia pelas 17 horas na Casa Municipal de Cultura de Fafe, com a abertura da exposição de fotografia ‘Por uma Vida Melhor’ do fotógrafo Gérald Bloncourt. Esta exposição é composta por 48 fotografias da coleção de 104 que Bloncourt ofereceu ao Museu das Migrações e das Comunidades. Parte desta coleção está neste momento patente na Cité nationale de l’histoire de l’immigration, Paris, e as que agora se apresentam em Fafe são mostradas ao público pela primeira vez. São retratos de um Portugal dos anos 1960/1970, pela objetiva de Bloncourt, aquando da sua vinda a Portugal nos anos 1960, assim como, do quotidiano dos portugueses que emigraram para França neste período.

A inauguração de ‘Por uma Vida Melhor’ contará com a presença dos músicos Geraldo Maia e Vinícius Sarmento, num momento musical de excelência.

Seguir-se-á a sessão literária, no Auditório da Biblioteca Municipal, com a presença de vários autores. Serão apresentadas as obras ‘Amazónia Prescrição de um Crime’ de Manuel Sousa Fonseca e Cezar Negreiros, ‘A Terra da Rainha - Retratos Portugueses no Reino Unido’ de Isabel Mateus, ‘La Révolution des Oeillets au Portugal’ de Manuel do Nascimento e ‘De São Vicente a Paris’ de Altina Ribeiro.

Fechando este percurso literário, terá lugar o lançamento das actas do seminário ‘A Emigração na Primeira República’, com a presença dos oradores, cuja apresentação está a cargo das coordenadoras da publicação, Isabel Alves, coordenadora do Museu das Migrações e das Comunidades e Maria Beatriz Rocha-Trindade, do CEMRI/Universidade Aberta e coordenadora científica deste Museu.

Ainda no Auditório da Biblioteca terá lugar a assinatura do Protocolo de colaboração entre a Câmara Municipal de Fafe/Museu das Migrações e das Comunidades e a associação Memória das Migrações, que visa em particular o trabalho de recolha e preservação da Memória da presença portuguesa nos diversos países de acolhimento das comunidades portuguesas.

O XVI Encontro de Emigrantes Fafenses continuará no emblemático Jardim do Calvário, onde pelas 20 horas decorrerá o jantar convívio e animação musical.


FONTE - Município de Fafe / Museu das Migrações e das Comunidades