Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Daniel Bastos estreia-se na poesia com “Terra”



No próximo dia 5 de Dezembro (sexta-feira), o escritor e historiador Daniel Bastos apresenta às 21h30, no auditório da Biblioteca Municipal de Fafe, o seu mais recente livro intitulado “Terra”.
Daniel Bastos

A obra com chancela da Editora Converso, uma edição bilingue (Português e Francês) com tradução do docente Paulo Teixeira, marca a estreia do autor natural de Fafe no campo da poesia, e conta com ilustrações originais do conceituado artista plástico português Orlando Pompeu, cuja obra consta de variadas coleções particulares e oficiais em Portugal, Espanha, França, Alemanha, Inglaterra, Brasil, Estados Unidos, Japão e Dubai, e prefácio do fotógrafo, poeta e pintor francês Gérald Bloncourt.

O escritor Daniel Bastos (à dir.) no atelier do artista plástico Orlando Pompeu (ao centro),
acompanhado do tradutor da obra Paulo Teixeira

O livro integra um conjunto de poemas de linhas temáticas contíguas onde o escritor, que se tem destacado nos últimos anos no campo da investigação histórica, expressa a sua visão da vida numa linguagem telúrica de amor filial às raízes, de nostalgia do tempo que passou, de denúncia da injustiça, de sublimação do amor, de resgate da história e de afirmação da liberdade. Os desenhos de Orlando Pompeu, concebidos propositadamente a partir dos poemas de Daniel Bastos, e que criam uma simbiose entre a linguagem artística da pintura e da poesia, estarão patentes na apresentação da obra que será antecedida por um momento musical executado pelo pianista Nelson de Quinhones.

Capa

Convite

Segundo Gérald Bloncourt, Cavaleiro da Ordem das Artes e Letras de França, a alvorada dos passos poéticos de Daniel Bastos perscrutam as ressonâncias das profundezas da humanidade. Para João Ricardo Lopes, poeta que integra a nova geração de escritores portugueses, e que assina o posfácio da obra, os versos do autor minhoto são um modo de regeneração e de libertação do momento e da circunstância.
 
O escritor Daniel Bastos (à dir.) no atelier do artista plástico Orlando Pompeu (ao centro),
acompanhado do tradutor da obra Paulo Teixeira

Refira-se que o livro será também apresentado no dia 6 de Dezembro (sábado) às 21h30 na FNAC em Guimarães, e no dia 7 de Dezembro (domingo) no Hipermercado E.Leclerc em Fafe, superfície comercial que é um dos principais apoios da obra e cuja decoração de Natal foi inspirada nos poemas e desenhos que integram o livro. 

Saliente-se ainda que estão já agendadas para o início do próximo ano várias sessões de lançamento do livro em capitais de distrito portuguesas, sendo a primeira em Braga no dia 24 de Janeiro (sábado) às 21h30 na FNAC. Assim como no estrangeiro, em particular junto das comunidades portuguesas, sendo a primeira em Paris no dia 7 de Fevereiro (sábado) às 16h00 no Lusofolie's, um novo espaço cultural de referência da comunidade lusófona em França, situado no chamado "viaduto das artes".

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Alunos da Universidade Sénior do Rotary Club de Fafe visitaram casa típica de “brasileiro de torna-viagem”



No âmbito da disciplina de História Local, lecionada ao longo dos últimos anos em regime de voluntariado pelo historiador Daniel Bastos na Universidade Sénior do Rotary Club de Fafe, alunos desta instituição vocacionada para a ocupação dos tempos livres numa aprendizagem constante de matérias diversificadas, visitaram na passada terça-feira (25 de Novembro) uma das casas típicas de “brasileiro de torna-viagem” situadas no centro da cidade de Fafe.








A visita a uma das mais típicas casas de “brasileiro de torna-viagem”, propriedade da Dra. Eduarda Leite Castro, e que se assume como um genuíno repositório histórico da moradia que representa a afirmação pessoal do proprietário “brasileiro” no início do séc. XX, permitiu constatar in loco a grandiosidade, a multiplicidade de materiais e cores, e as inovações arquitetónicas e decorativas adotadas na construção da arquitetura elegante de traça “brasileira”.










Refira-se, que esta vista escolar da Universidade Sénior do Rotary Club de Fafe, integra-se no conjunto de aulas práticas e teóricas delineadas no âmbito da disciplina de História Local, essencialmente dedicadas no ano letivo 2014/2015 à temática da influência dos “brasileiros de torna-viagem” no concelho de Fafe.