Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Rotary Club de Fafe distinguiu melhores alunos



O Rotary Club de Fafe premiou na noite de terça-feira, 26 de Setembro, mês que Rotary dedica ás Novas Gerações, sete alunos das escolas do concelho que se distinguiram pelo seu percurso no ano lectivo de 2011/2012 e pelo comportamento social e de companheirismo.


 A cerimónia, em que foram distinguidos os melhores alunos do 9.º e 12.º ano das escolas do concelho de Fafe, decorreu na reunião semanal deste Club Rotário, no auditório do Edifício das Associações. A tradicional iniciativa, continuidade de uma actividade iniciada em 1984 e anualmente concretizada, é singularmente plasmada na entrega do Prémio António Augusto Rebelo de Almeida, fundador e primeiro presidente do Rotary Club de Fafe, que pretende não só enaltecer e distinguir o mérito e o trabalho de cada um dos alunos, mas também, através da apresentação de bons exemplos, incentivar outros jovens ao cumprimento dos seus deveres de estudantes.

Para além dos alunos distinguidos, designadamente Ana Ramos (9.º Ano - Agrup. Escolas Prof. Calos Teixeira / Fafe), Dani Gonçalves, (9.º Ano - Agrup. Escolas de Fafe / E.S.F.), José Araújo (9.º Ano – Agrup. Escolas Prof. Carlos Teixeira / Silvares), Lisandra Gonçalves (9.º Ano – Agrup. Escolas Montelongo / Revelhe), Maria Oliveira (9.º Ano – Agrup. Escolas Montelongo / Fafe), Rúben Costa (9.º Ano – Agrup. Escolas de Fafe / Arões) e Mariana Soares (12.º Ano – Agrup. Escolas de Fafe / E.S.F.), marcaram presença vários companheiros rotários, encarregados de educação e familiares. Assim como o historiador Daniel Bastos, em representação da Câmara Municipal de Fafe, Carlos Martins, do Rotary Club de Vizela, em representação da Governadora do Distrito (Rotário) 1970, os dirigentes educativos Maria José Marques e Vitor Leite, em representação, respectivamente, dos Agrupamento Escolas de Montelongo e Agrupamento de Escolas Prof. Carlos Teixeira, e D.Angelina Oliveira, esposa do patrono do galardão. 


Depois da abertura da reunião e dos momentos habituais da saudação ás bandeiras, protocolo, secretaria, apresentação rotária, momentos sempre explicados aos convidados, o presidente do Rotary Club de Fafe, Pe. José Peixoto Lopes, que destacou que “o objectivo do Rotary é estimular e fomentar o ideal de servir”, parabenizou os alunos distinguidos e o esforço das suas famílias na promoção do seu percurso escolar e cívico. 

Após a entrega solene dos galardões, que constou ainda da oferta de certificados e de livros de três autores rotários locais, nomeadamente, dos escritores Alberto Alves, José Peixoto Lopes e Manuel Barros, seguiram-se intervenções de representantes dos estudantes e encarregadas de educação premiados, assim como dos convidados de honra, que confluíram no justo reconhecimento do esforço, trabalho e mérito na obtenção dos resultados escolares de excelência dos alunos distinguidos.

Créditos fotográficos - Foto Rodrigo

domingo, 23 de setembro de 2012

Biblioteca Municipal de Fafe encheu para apresentação do livro "Por dentro de uma jota – Uma experiência de intervenção cívica e política em Fafe"




No passado dia 21 de Setembro, o jovem historiador e político Daniel Bastos apresentou no auditório da Biblioteca Municipal de Fafe o livro "Por dentro de uma jota – Uma experiência de intervenção cívica e política em Fafe".

 

 

A apresentação do livro, um ensaio reflexivo sobre o quotidiano e papel de uma juventude partidária, baseado na experiência do período em que o autor liderou a JS de Fafe entre 2006 e 2011, e que inclui um prefácio de António José Seguro, contou com a presença do deputado na Assembleia da República, Pedro Delgado Alves, actual Secretário-Geral da JS que assina o posfácio da obra.



Com uma afluência transversal da comunidade local, o sobrelotado auditório da Biblioteca Municipal de Fafe encheu-se de amigos, familiares, jovens, artistas, políticos e admiradores que assim quiseram marcar presença neste novo contributo cultural e literário do jovem historiador fafense.



A iniciativa, que contou com a presença do autarca, José Ribeiro, e do vereador da Cultura, Pompeu Martins, foi antecedida pela abertura de uma exposição de pintura da autoria dos artistas Marisa Brochado, Tiago Alexandre e Xana Novais, e um momento musical interpretado pelos jovens Diana e Duarte Baptista, que através de uma melodia intimista arrebataram o público presente na sessão.  


Na mesa de apresentação do livro, edição da Labirinto – Colecção Àgora, com 141 páginas e capa do consagrado pintor Orlando Pompeu, além do historiador Daniel Bastos, autor da obra, tomaram assento Pedro Sousa, líder distrital da JS, o deputado Pedro Delgado Alves, responsável pelo posfácio, e Antero Barbosa, presidente da Comissão Política do PS – Fafe, que confluíram no elogio das qualidades humanas, profissionais e políticas do autor, assim como do simbolismo da obra enquanto testemunho de um percurso no campo da cidadania e da política que envolveu e mobilizou os jovens e a sociedade local.

Na mesma esteira, o presidente da Labirinto, João Artur Pinto, que sustentou que a editora através da Colecção Àgora se assume como um espaço de reflexão livre sobre a “Polis”, destacou o facto do livro constituir uma obra inédita enquanto reflexão sobre um percurso político no interior da uma juventude partidária.


No decorrer da sessão de apresentação do livro, o autor da obra, que agradeceu a presença das diversas individualidades que tomaram assento na mesa de honra, realçou a transversalidade da plateia presente na sessão, afirmando que a mesma era reflexo “da sua forma de ser e de estar na vida, com elevação, humanismo e respeito à diferença da outra pessoa”.

Reconhecendo o esforço colectivo de todos aqueles que percorrem um caminho politico de cidadania activa, Daniel Bastos, afirmou que as estruturas partidárias devem ser “um espaço aberto para aqueles que pretendem fazer um percurso e carreira política”, mas também “um espaço de cidadania e formação, onde os jovens se sintam bem para apresentarem as suas ideias e os seus projectos”.

Num período marcado pelo pretenso alheamento da juventude da Res Publica, o jovem historiador e político elencou um conjunto diversificado de iniciativas cívicas e políticas dinamizadas entre 2006 e 2011 pela JS-Fafe, que segundo o mesmo “contribuíram para a formação política, para o exercício da cidadania activa e para a envolvência e participação de jovens cidadãos na vida pública”.


A cerimónia de apresentação da obra motivou uma concorrida sessão de autógrafos que o investigador se disponibilizou a efetuar, culminando num clima de enorme convivência animada pela degustação de um espumante de vinho verde “Miogo”, um produto de referência do concelho, o lançamento deste livro que segundo António José Seguro, líder nacional do PS e  autor do prefácio, se assume como «um legado para todos os que vierem e deve inspirar os jovens que hoje dão os primeiros passos na militância da família socialista».

Fotos: Manuel Meira Correia


P.S- Quem pretender adquirir a obra pode enviar para o e-mail: info@danielbastos.pt  a sua morada, sendo o mesmo remetido por via postal à cobrança (O livro tem o preço unitário de 10 euros);

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Lançamento do livro "Por dentro de uma jota – Uma experiência de intervenção cívica e política em Fafe"



No próximo dia 21 de Setembro, o jovem historiador e político Daniel Bastos, apresenta em Fafe o livro "Por dentro de uma jota – Uma experiência de intervenção cívica e política em Fafe".


Procurando retratar e reflectir sobre o quotidiano e papel de uma juventude partidária, socorrendo-se da experiência do período em que liderou a JS de Fafe, entre 2006 e 2011, a obra, que conta com prefácio de António José Seguro e posfácio de Pedro Delgado Alves, está marcada para as 21:30 no auditório da Biblioteca Municipal de Fafe.

No prefácio da obra, António José Seguro escreve que o livro «faz um balanço dos últimos anos na concelhia da Juventude Socialista de Fafe, reflecte o importante trabalho desenvolvido pelas juventudes partidárias a nível local. A dinamização política das comunidades locais é muitas vezes empreendida e bem, como Daniel Bastos testemunha, pelos jovens».

Apontando que «A sociedade actual apresenta desafios sem precedentes na nossa democracia de Abril», o Secretário-geral do Partido Socialista afirma que o «livro é um exemplo de como se pode mudar a vida dos outros e de afirmar que em política ninguém é dispensável e que todos contam». Referindo-se ao trabalho elaborado por Daniel Bastos como «um legado para todos os que vierem e deve inspirar os jovens que hoje dão os primeiros passos na militância da família socialista», António José Seguro, assegura  que «Politica e historicamente é fundamental registar as memórias através da escrita, pois assim, este livro passará a fazer parte da história recente do Partido Socialista».

Em "Por dentro de uma jota – Uma experiência de intervenção cívica e política em Fafe", o antigo Secretário – Coordenador da Juventude Socialista de Fafe, e presidente da Associação Nacional de Jovens Autarcas Socialistas, num período marcado pelo pretenso alheamento da juventude da Res Publica, dá a conhecer um conjunto diversificado de iniciativas cívicas e políticas que contribuíram para a formação política, para o exercício da cidadania activa e para a envolvência e participação de jovens cidadãos na vida pública.


Segundo Pedro Delgado Alves, autor do posfácio do livro, «a diversidade dos temas e iniciativas desenvolvidas pela concelhia de Fafe ao longo dos últimos anos é reveladora de que, mais do que acantonada num nicho de matérias, a JS Fafe soube abraçar toda a riqueza (e complexidade) da nossa contemporaneidade, não se eximindo de participar e provocar os debates que se impunham». Para o líder nacional da JS, «o balanço dos mandatos do Daniel Bastos à frente dos destinos da concelhia da Juventude Socialista de Fafe é um excelente e eloquente exemplo do potencial das organizações partidárias de juventude, da sua relação com os jovens e com a realidade local».



O lançamento do livro "Por dentro de uma jota – Uma experiência de intervenção cívica e política em Fafe", edição da Labirinto – Colecção Agora, com 141 páginas e capa do consagrado pintor Orlando Pompeu, será antecedido pela abertura de uma exposição de pintura da autoria dos artistas Marisa Brochado, Tiago Alexandre e Xana Novais, e um momento musical interpretado pelos jovens Diana e Duarte Baptista. 

Ecos da Imprensa
Notícias de Fafe (2012-09-21)

Povo de Fafe (2012-09-21)


Correio do Minho (2012-09-18)
 

sábado, 15 de setembro de 2012

Antime recordou história da Santa Casa da Misericórdia de Fafe


Na passada sexta-feira, 14 de Setembro, a freguesia de Antime, berço da padroeira do concelho de Fafe, a Senhora da Misericórdia, a cuja romaria afluem milhares de fiéis todos os anos, recebeu nas instalações da Junta de Freguesia a Exposição itinerante da Santa Casa da Misericórdia de Fafe evocativa dos Cortejos de Oferendas em benefício do Hospital da Misericórdia de Fafe.


A iniciativa cultural, promovida pela Junta de Freguesia de Antime, povoação onde existem várias colectividades que têm vindo a proporcionar ao longo dos anos actividades culturais para toda a população, contou com a presença da Provedora da Santa Casa da Misericórdia de Fafe, Maria das Dores Ribeiro João, e do historiador, Daniel Bastos, autor do livro “ Santa Casa da Misericórdia de Fafe – 150 Anos ao Serviço da Comunidade”.

A sessão, que contou com a presença de vários antimenses, iniciou-se às 21h30 com a inauguração da exposição. Composta por uma dezena de painéis enriquecidos com fotografias e documentos da época, a exposição sobre a realização dos Cortejos de Oferendas em benefício do Hospital da Misericórdia entre 1944 e 1965, despertou nos participantes lembranças de outros tempos marcados pela generosidade da população de Antime ao longo da secular história da instituição de assistência.




No decurso da iniciativa, aberta pela presidente da Junta de Freguesia de Antime, Isaura Nogueira, que agradeceu presença de todos, e em particular do historiador, Daniel Bastos, e da Provedora da Santa Casa da Misericórdia de Fafe, Maria das Dores Ribeiro João, o autor do livro que retrata os 150 anos desta instituição social de referência na região, proferiu uma palestra que abordou os vários contributos da freguesia de Antime ao longo da história da Misericórdia de Fafe.


Daniel Bastos, que elencou os contributos da freguesia nos Cortejos de Oferendas de 1944, 1955 e 1965, destacou a generosidade de vários beneméritos naturais de Antime, como Albino Fernandes, João da Costa e Castro, Avelino Joaquim Meireles e “o brasileiro Inácio Freitas Castro, cujo donativo de 5 contos em 1940 foi importante para o apetrechamento da sala de operações do Hospital de Fafe”.

Por seu lado, a Provedora da Misericórdia de Fafe, Maria das Dores Ribeiro João, que agradeceu o amável convite endereçado à instituição para estar presente na sessão, destacou os vários serviços sociais prestados pela organização estreitando os laços que unem a Misericórdia de Fafe à comunidade.

Refira-se que a Exposição evocativa dos Cortejos de Oferendas em benefício do Hospital da Misericórdia de Fafe estará patente à comunidade durante a próxima semana no horário de funcionamento da Junta de Freguesia de Antime.