Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Todos somos emigrantes


Numa altura do ano em que é habitual muitos dos portugueses emigrantes regressarem a casa para as férias de Verão com a família, deixo aqui uma singela homenagem aos nossos emigrantes, vertida no poema “Todos somos emigrantes” que faz parte do meu último livro de poesia “Terra” magnificamente ilustrado pelo mestre-pintor Orlando Pompeu:

 

Orlando Pompeu, “Todos somos emigrantes, in Terra

Todos somos emigrantes

Quando sentes necessidade de partir
vais sem olhar para trás,
deixas as raízes…o existir,
levas a certeza que um dia voltarás.
Saltas fronteiras, alargas horizontes
ganhas o pão com suor
constróis o mundo lançando pontes
conquistas o direito a uma vida melhor.
Cantas o fado da saudade
diluída no sonho da prosperidade
já desejada pelos nossos pais e avós.
Por imperativo da realidade,
pela nossa história e identidade,
emigrantes somos todos nós.

Daniel Bastos, “Todos somos emigrantes, in Terra

Sem comentários: