Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Os gatos




Os gatos são uma constante fonte de inspiração para artistas, músicos e poetas, assim como para todos que são admiradores da beleza e elegância. Foi esta inspiração felina que me impeliu a escrever o poema “Os gatos”, que faz parte do meu último livro de poesia “Terra”, magnificamente ilustrado pelo mestre-pintor Orlando Pompeu.



Os gatos
Venha a noite que vier
 os olhos dos gatos
círios de liberdade
brilharão no escuro.
Misteriosas criaturas
veneram o silêncio,
os encantos e agruras
dos seus antepassados.
Caudatos errantes
saltam vedações
percorrem os caminhos velados
deixam pegadas nos corações.
Quem me dera ser como os gatos
reconhecer os ratos,
brincar com as borboletas,
possuir sete vidas!
E quando a dúvida e o medo
de mim tomarem conta
levando-me acaso a cair,
saber eu prosseguir
com a felina dignidade
de cair de pé. 


Daniel Bastos, “Os gatos”, in Terra.

Desenho - Orlando Pompeu


Sem comentários: