Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

domingo, 20 de dezembro de 2015

Guimarães foi palco de apresentação do livro “Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”



No passado sábado (19 de dezembro), foi apresentado na “cidade berço” de Portugal  o livro Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”.


A obra, concebida e realizada pelo historiador Daniel Bastos a partir do espólio do conhecido fotógrafo que imortalizou a história da emigração portuguesa para França nos anos 60, foi apresentada no Fóum da FNAC em Guimarães, numa sessão que contou com a presença de muito público e que esteve a cargo do antigo Presidente da Federação das Associações Portuguesas de França, José Machado.

Com chancela da Editora Converso, o livro traduzido para português e francês pelo docente Paulo Teixeira, e prefaciado pelo ensaísta e pensador Eduardo Lourenço, reúne memórias, testemunhos e mais de centena e meia de fotografias originais da maior importância para a história portuguesa do último meio século. Como a é o caso das imagens históricas que o fotógrafo de 89 anos captou sobre a vida dos emigrantes portugueses nos bidonvilles de Paris, e que já integraram várias exposições em Portugal e França. 








No decurso da sessão, José Machado, antigo Presidente do Conselho das Comunidades Portuguesas, e da Federação das Associações Portuguesas de França, elogiou o percurso de vida e profissional do fotógrafo Gerald Bloncourt, titular da Ordem Nacional da Legião de Honra francesa, a mais alta distinção civil de França, assegurando que “este livro é um importante contributo para a história e memória da emigração portuguesa para França”.
Refira-se que o livro é apoiado por duas dezenas de empresas representativas do tecido económico luso-francês: Companhia de Seguros Fidelidade em Paris, E.Leclerc, Quinta de Naíde, Pensiltex, RTL, Imagine o Prestígio, Aluminel, Almeca, Ramiro&Carvalho, Norchapa, Leets, ERA, Vinhos Norte, Quinta do Labaçoso, LS Opticas, Berci, Fiscofafe, Fafetur, Luciano Correia Seguros, Transnos e Citroen.









No início de 2016 estão agendadas várias sessões de apresentação da obra junto das comunidades portuguesas residentes no estrangeiro, em particular da numerosa comunidade portuguesa radicada em Paris, uma sessão carregada de grande simbolismo que contará com a presença do fotógrafo que durante mais de vinte anos escreveu com luz a vida dos portugueses em França e em Portugal.

Sem comentários: