Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

III Jornadas Literárias de Fafe arrancaram em Aboim

No final da tarde de sábado passado a pitoresca freguesia de Aboim foi palco do arranque oficial do programa das III Jornadas Literárias de Fafe. O evento decorreu no salão da Junta de Freguesia de Aboim que acolheu dezenas de pessoas que assistiram à apresentação de duas interessantes palestras, proferidas respectivamente por Jesus Martinho, dirigente da Atriumemória, e Jorge Miranda, um dos principais obreiros da remodelação do Museu de Aboim.


O evento foi aberto pelo presidente da Junta de Freguesia de Aboim, António Novais, que se congratulou pela escolha da sua terra para palco do arranque oficial das jornadas literárias, aproveitando o ensejo para engrandecer a afinidade de um dos principais mentores da iniciativa, o professor Carlos Afonso, à freguesia mais a norte do concelho de Fafe. Durante a sessão de abertura, o “alma mater” das III Jornadas literárias de Fafe, Carlos Afonso, e o presidente da Câmara Municipal de Fafe, José Ribeiro, confluíram na ideia de que o evento que decorrerá durante este mês no concelho irmanará todos os fafenses em torno da bandeira da Cultura, História e Tradição. 

No decorrer das palestras, Jesus Martinho, explanou uma abordagem histórica ao rico património da freguesia de Aboim, evidenciado o seu legado megalítico, religioso e rural. Por seu lado, o antropólogo Jorge Miranda desvendou um pouco do projecto que está a ser desenvolvido para a dinamização do Museu de Aboim e que promete a afluência de visitas escolares ao centro interpretativo do Povo e do Moinho de Aboim, que como evocou foi construído por Daniel Pereira Gonçalves.

A iniciativa, abrilhantada por um pitoresco momento cultural de cantares ao desafio, encerrou com a degustação de doces e vinhos regionais que alegrou o convívio e confraternização dos convidados com as gentes e tradições de Aboim.

Sem comentários: