Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

José Emídio Martins Lopes lançou no Salão Paroquial de Cepães “As alminhas do concelho e Arciprestado de Fafe”

Na tarde de domingo passado, José Emídio Martins Lopes, lançou no Salão Paroquial de Cepães, terra natal do investigador, o seu mais recente livro “As alminhas do concelho e Arciprestado de Fafe”.

O auditório abrilhantado pela actuação do Grupo Coral da Paróquia de Cepães, encheu-se de amigos, familiares e centenas de cepanenses, que não deixaram de estar presentes no lançamento desta nova obra com 140 páginas, editada pelo autor, com o apoio da Câmara Municipal de Fafe.

Na mesa da sessão de apresentação, dinamizada pelo Pe. José Marques, marcaram presença além do autor, o presidente do Município de Fafe, José Ribeiro, o historiador local, Daniel Bastos, a secretária da Junta de Freguesia de Cepães, Augusta Pereira, e o pai do autor, a quem a obra é dedicada. Nas palavras do autor “companheiro e conselheiro nesta caminhada, pelos vales e serras da nossa terra, na descoberta das alminhas “perdidas”.

A apresentação do livro esteve a cargo do também cepanense, Daniel Bastos, que após traçar o percurso biográfico do autor, marcado pelo serviço militar, pela formação e leccionação no campo do ensino primário e pelo gosto vincado pelo jornalismo local e regional, e que inclui já um conjunto significativo de trabalhos de investigação histórica essencialmente dedicadas á freguesia de Cepães, sustentou que As alminhas do concelho e Arciprestado de Fafe assume-se como um “trabalho inédito e de enorme valor para a compreensão e salvaguarda deste património representativo da religiosidade popular portuguesa”.

Segundo o historiador, o novo livro de José Emídio Martins Lopes, “reveste-se ainda de uma perspicaz mensagem de sensibilização à população em geral, e às autarquias e paróquias em particular, para a necessidade de preservação e restauro das alminhas que se encontram profusamente disseminadas pelo concelho de Fafe”.

Na sessão interveio ainda o presidente da Câmara de Fafe, José Ribeiro, que enalteceu as qualidades humanas e profissionais do professor José Emídio Martins Lopes, a quem unem laços familiares e de amizade. O autarca, também ele natural de Cepães, destacou a importância que a obra, profusamente ilustrada e repleta de dados úteis sobre a localização, estado e propriedade deste património religioso popular, representa para a história do concelho de Fafe “colmatando assim uma das poucas áreas históricas que ainda não estavam estudadas e analisadas em Fafe”.



A sessão foi encerrada pelo professor, jornalista e escritor, José Emídio Martins Lopes, que visivelmente emocionada pela presença de tantos amigos e conterrâneos, discorreu sobre as diversas etapas e peripécias que estiveram por detrás da elaboração do livro. O autor, a quem o jornal Povo de Fafe atribuiu o galardão “Os mais 2005” de Artes e Letras, e cujo director, Ribeiro Cardoso, marcou presença na sessão de lançamento, agradecendo a presença e gratidão de todos, realçou que a obra “abrange as alminhas situadas nas 37 paróquias do arciprestado, ou seja, as 36 de Fafe e do Rego, à qual acrescentou a capela da Senhora da Guia em S. Clemente de Basto”.

4.º Encontro de Reis deu continuidade a tarde cultural em Cepães

Na tarde de domingo passado (5 de Fevereiro) a freguesia de Cepães, após o lançamento do livro “As alminhas do concelho e Arciprestado de Fafe”, da autoria de José Emídio Martins Lopes, foi igualmente palco do 4.º Encontro de Reis promovido pelo Rancho Folclórico da Casa do Povo de Cepães.

Com o apoio da Junta de Freguesia de Cepães, marcaram presença no Salão Paroquial o Grupo Coral de Cepães, o Grupo Folclórico de Cepães, o Grupo de Concertinas “Os amigos de S. Adrião” (Vizela), o Grupo “Os Escoteiros de S. Lourenço de Selho” (Guimarães), o Grupo Folclórico da Casa do Povo de Creixomil (Guimarães), o Grupo Musical “Os four men” (Vizela), o Grupo Escoteiros de S. Clemente de Sande (Guimarães), o Grupo de Concertinas Ribeiro e Amigos (Fafe) e o Grupo da Associação de Reformados de Fafe. 



Numa tarde marcada pela alegria e convívio, em que marcaram presença entre outros, o presidente da Câmara Municipal de Fafe, José Ribeiro, e o director do jornal Povo de Fafe, Ribeiro Cardoso, destacou-se o colorido e energia dos nove grupos participantes que contagiaram as centenas de pessoas que assistiram ao encontro dançando e cantando ao som das reisadas. 


Segundo Francisco Alves, presidente da direcção do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Cepães, 4.º Encontro de Reis, teve novamente como principal objectivo “valorizar as tradições populares e etnográficas da freguesia de Cepães”.


Sem comentários: