Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

quarta-feira, 21 de março de 2012

Cepães homenageou comendador José Pereira de Sousa no âmbito das III Jornadas Literárias de Fafe



No passado domingo, dia 18 de Março, a comunidade cepanense, no âmbito das III Jornadas Literárias de Fafe, homenageou a figura benemérita do comendador cepanense José Pereira de Sousa, um importante brasileiro de torna – viagem, antigo sócio da casa comercial fluminense “Sucena&C.ª”, que no inicio do séc. XX restaurou a expensas próprias a Igreja de Cepães, tendo ainda contribuído com generosos donativos para as obras da Igreja Nova de S. José e para o Hospital da Misericórdia de Fafe.
José Pereira de Sousa (┼1921)

Tratando-se de uma vetusta figura histórica que a própria comunidade cepanense com a voragem do tempo já olvidava, o grupo local responsável pela participação da freguesia nas III Jornadas Literárias de Fafe entendeu reavivar a memória do generoso “brasileiro” natural de Cepães, que foi brilhantemente reencarnado no final da celebração eucarística dominical pelo professor José Emídio Martins Lopes, que num rasgo teatral deu a conhecer aos presentes o percurso de vida deste emérito cepanense.

A cerimónia evocativa contou ainda no final da celebração eucarística com o descerramento de uma placa alusiva ás obras custeadas por este benemérito cepanense, que havia sido retirada do interior da Igreja de Cepães aquando das obras de reparação do templo religioso aquando da fatídica trovoada que à alguns anos danificou a Igreja de Cepães. No descerramento da placa, em que estiveram presentes descendentes do comendador José Pereira de Sousa, e a que se associaram os grupos representativos da freguesia, nomeadamente o Rancho Folclórico da Casa do Povo de Cepães, e os grupos de jogo do pau da Sociedade de Recreio Cepanense e do Centro Cultural e Recreativo de Juventude de Cepães, o presidente da Junta de Freguesia de Cepães, Manuel Silva, agradeceu a presença de todos que fizeram questão de marcar presença naquele momento singelo.

No final da cerimónia, Daniel Bastos, em representação do Município de Fafe, destacou a importância das III Jornadas de Literárias, salientando que Cepães honrou assim a história e a memória de um distinto antepassado. Refira-se que no desfecho da sessão evocativa houve ainda tempo no adro da Igreja para demonstrações da arte tradicional do jogo do pau, e que nesse dia à tarde a Freguesia de Cepães marcou presença no magnifico Cortejo Etnográfico que abrilhantou o centro da cidade de Fafe.   

Sem comentários: