Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Cepães foi palco de Encontro Nacional de Folclore


No passado sábado à noite, 18 de Agosto, a freguesia de Cepães, uma freguesia do concelho de Fafe com intensa atividade industrial e aptidão agrícola, foi palco do 4.º Encontro Nacional de Folclore. 

A iniciativa etnográfica, que decorreu nas imediações da Escola Básica de Cepães, foi uma vez mais promovida pelo Rancho Folclórico da Casa do Povo de Cepães, que com o apoio da Junta de Freguesia de Cepães e o Município de Fafe, trouxe este ano à freguesia, em tempos uma importante ligação entre Fafe e Guimarães devido à linha férrea que a atravessava, o Rancho Folclórico Divino Salvador de Delães (Vila Nova de Famalicão), Rancho Folclórico Casa do Povo de Aguçadoura (Póvoa de Varzim), Grupo Folclórico de Esgueira (Aveiro), Rancho Folclórico “Estrela D’Alva” (Seia), Rancho Folclórico Santa Maria de Lamoso (Paços de Ferreira).













Foram muitos os que compareceram ao festival, que contou ainda com a atuação do grupo organizador, e a presença do presidente da Câmara Municipal de Fafe, José Ribeiro, natural da freguesia de Cepães, o presidente da Junta de Freguesia, Manuel Silva, o historiador e presidente da Assembleia de Freguesia, Daniel Bastos, e o professor e escritor José Emídio Lopes, que ao longo dos últimos anos tem dinamizado a cultura e história de Cepães. 

 

Durante o encontro, que primou que primou pela boa música, convívio e promoção da cultura e do folclore nacional, e que contou com a presença de vários emigrantes que aproveitaram o festival para matar saudades da terra natal, os representantes da freguesia e do concelho foram unânimes quanto à mais-valia que a iniciativa representa para Cepães e Fafe. 

 

O autarca José Ribeiro, que recordou as suas raízes cepanenses, destacou que o folclore assume “ grande importância na nossa história, tradição e cultura”. Por seu lado, o presidente da Junta de Freguesia de Cepães, Manuel Silva, agradeceu “o empenho do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Cepães, na pessoa do seu presidente Francisco Alves, na realização do 4.º Encontro Nacional de Folclore”, elogiando o dinamismo da coletividade ”que tem levado longe o nome de Cepães”.  






Segundo Francisco Alves, presidente da Direcção do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Cepães, que agradeceu em particular a presença dos representantes da freguesia e do concelho, e em geral dos grupos convidados e dos participantes que abrilhantaram o festival, assegurou aos presentes a perenidade da tradição e a divulgação da cultura etnográfica de Cepães.

Sem comentários: