Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Daniel Bastos estreia-se na poesia com “Terra”



No próximo dia 5 de Dezembro (sexta-feira), o escritor e historiador Daniel Bastos apresenta às 21h30, no auditório da Biblioteca Municipal de Fafe, o seu mais recente livro intitulado “Terra”.
Daniel Bastos

A obra com chancela da Editora Converso, uma edição bilingue (Português e Francês) com tradução do docente Paulo Teixeira, marca a estreia do autor natural de Fafe no campo da poesia, e conta com ilustrações originais do conceituado artista plástico português Orlando Pompeu, cuja obra consta de variadas coleções particulares e oficiais em Portugal, Espanha, França, Alemanha, Inglaterra, Brasil, Estados Unidos, Japão e Dubai, e prefácio do fotógrafo, poeta e pintor francês Gérald Bloncourt.

O escritor Daniel Bastos (à dir.) no atelier do artista plástico Orlando Pompeu (ao centro),
acompanhado do tradutor da obra Paulo Teixeira

O livro integra um conjunto de poemas de linhas temáticas contíguas onde o escritor, que se tem destacado nos últimos anos no campo da investigação histórica, expressa a sua visão da vida numa linguagem telúrica de amor filial às raízes, de nostalgia do tempo que passou, de denúncia da injustiça, de sublimação do amor, de resgate da história e de afirmação da liberdade. Os desenhos de Orlando Pompeu, concebidos propositadamente a partir dos poemas de Daniel Bastos, e que criam uma simbiose entre a linguagem artística da pintura e da poesia, estarão patentes na apresentação da obra que será antecedida por um momento musical executado pelo pianista Nelson de Quinhones.

Capa

Convite

Segundo Gérald Bloncourt, Cavaleiro da Ordem das Artes e Letras de França, a alvorada dos passos poéticos de Daniel Bastos perscrutam as ressonâncias das profundezas da humanidade. Para João Ricardo Lopes, poeta que integra a nova geração de escritores portugueses, e que assina o posfácio da obra, os versos do autor minhoto são um modo de regeneração e de libertação do momento e da circunstância.
 
O escritor Daniel Bastos (à dir.) no atelier do artista plástico Orlando Pompeu (ao centro),
acompanhado do tradutor da obra Paulo Teixeira

Refira-se que o livro será também apresentado no dia 6 de Dezembro (sábado) às 21h30 na FNAC em Guimarães, e no dia 7 de Dezembro (domingo) no Hipermercado E.Leclerc em Fafe, superfície comercial que é um dos principais apoios da obra e cuja decoração de Natal foi inspirada nos poemas e desenhos que integram o livro. 

Saliente-se ainda que estão já agendadas para o início do próximo ano várias sessões de lançamento do livro em capitais de distrito portuguesas, sendo a primeira em Braga no dia 24 de Janeiro (sábado) às 21h30 na FNAC. Assim como no estrangeiro, em particular junto das comunidades portuguesas, sendo a primeira em Paris no dia 7 de Fevereiro (sábado) às 16h00 no Lusofolie's, um novo espaço cultural de referência da comunidade lusófona em França, situado no chamado "viaduto das artes".

Sem comentários: