Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

domingo, 20 de março de 2016

Dia Mundial da Poesia – Inquietude Poética




No âmbito do Dia Mundial da Poesia, que se assinala dia 21 de março, e que pretende celebrar a diversidade do diálogo, a livre criação de ideias através das palavras, da criatividade e da imaginação, partilho o desenho e o poema  “Inquietude Poética”,  que fazem parte do meu livro de poesia “Terra” magnificamente ilustrado pelo mestre-pintor Orlando Pompeu.



Inquietude Poética

Quando a palavra fica presa,
reclusa da falta de inspiração,
a chama permanece acesa
no recôndito da imaginação.

Embora soturno e moribundo,
o espírito errante do poeta
enleado no sono profundo,
prossegue a vida asceta.

No silêncio sagrado da solidão
purifica  a angústia do dilema
revestindo-se da luz da criação.

Remidas do jazigo da desilusão
as palavras irrompem o poema
refeitas na seiva da superação.

Daniel Bastos, “Inquietude Poética”, in Terra.

Orlando Pompeu - in Terra

Sem comentários: