Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

segunda-feira, 31 de março de 2014

História de Fafe apresentada na capital da Europa

No passado dia 29 de Março, o historiador Daniel Bastos, conjuntamente com o fotógrafo José Pedro Fernandes e o tradutor Paulo Teixeira, apresentaram na Livraria Orfeu em Bruxelas, o livro Fafe – História, Memória e Património.

A sessão, que juntou a comunidade emigrante na Bélgica, em particular a fafense, e encheu por completo esta livraria que se assume como um ponto de encontro para a cultura portuguesa, envolvida na ambiência da capital da Europa onde a paixão pela leitura se alia a outras formas de sentir, contou com a presença do Economista da Comissão Europeia, Francisco Barros Castro.

Natural do concelho minhoto, Francisco Barros Castro que assegurou que Fafe é um local cheio de cultura e tradições, afirmou que esta obra que transmite uma imagem global e fundamentada da evolução do território concelhio das origens à atualidade através de um enquadramento histórico assente numa centena de fotografias originais a preto e branco, reveste-se de um importante valor histórico e sentimental.

Antes, Joaquim Pinto da Silva, gerente da Livraria Orfeu em Bruxelas, que enalteceu os autores e o papel dinâmico da comunidade portuguesa na Bélgica, não escondeu o seu contentamento pela presença de tantos emigrantes fafenses num espaço cultural de passagem e de comunhão dos valores da Lusofonia.

Ao longo da sessão, os autores da obra, confluíram nos agradecimentos a Joaquim Pinto da Silva, proprietário da prestigiada Livraria Orfeu, assim como ao conterrâneo economista da Comissão Europeia, Francisco Barros Castro, pela oportunidade de apresentarem o livro junto da comunidade emigrante na capital da Europa.

Acrescentado que esta obra trilingue (Português, Francês e Inglês), assume-se como “um livro de afetos que pretende reaproximar a comunidade emigrante fafense às origens, afirmando o concelho no panorama nacional e europeu através daqueles que no estrangeiro têm contribuído de forma decisiva para o desenvolvimento de Fafe”.
Paralelamente à sessão de autógrafos decorreu uma prova de vinhos Tapada dos Monges Loureiro, produzido pelos Vinhos Norte, uma empresa de Fafe vocacionada para a produção de Vinhos Verdes que procura aliar a tradição de fazer vinho com a inovação no sector. A degustação, que foi promovida pelo importador dos Vinhos Norte na Bélgica, Daniel Vieira, contou com a presença de proprietários de restaurantes portugueses em Bruxelas abrindo-se assim perspetivas de oportunidades de negócio e fortalecimento da presença deste vinho verde local no mercado belga.


Após esta apresentação junto da comunidade emigrante em Bruxelas, o livro Fafe – História, Memória e Património, que já na semana passada tinha sido dado a conhecer no Consulado de Portugal em Paris, será apresentado durantes os meses de Abril e Maio na FNAC do Porto (Santa Catarina) e Lisboa (Chiado).

Sem comentários: