Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

domingo, 31 de janeiro de 2016

POEMA - Farol de Luz



Numa época marcada pela desesperança e incerteza relembro o poema “Farol de Luz”, símbolo de esperança e de orientação, que faz parte do meu livro de poesia “Terra” magnificamente ilustrado pelo mestre-pintor Orlando Pompeu:
 
 
Desenho - Orlando Pompeu 
Farol de Luz

Debruado numa nesga de terra
ergues-te altaneiro e vigilante
sobre o mar calmo ou revoltoso
irradiando a salvífica luz oscilante.
Desde tempos imemoriais
resgatas do destino incerto
a precária condição dos mortais
que ousam cruzar o mar aberto.
O que seria de quem
incessantemente
procura conhecer o mundo
sem o clarão precioso
da esperança
de chegar a bom porto,
finalmente.

Daniel Bastos, “Farol de Luz”, in Terra.



Sem comentários: