Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Terras de Barroso receberam apresentação do livro “Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”



No passado domingo (8 de maio), foi apresentada nas Terras de Barroso o livro Gérald Bloncourt – O olhar de compromisso com os filhos dos Grandes Descobridores”.

A obra, concebida e realizada pelo historiador Daniel Bastos a partir do espólio do conhecido fotógrafo que imortalizou a história da emigração portuguesa para França nos anos 60, foi apresentada no Centro Interpretativo das Minas da Borralha, em Salto, concelho de Montalegre, numa sessão muito concorrida que contou com a presença do presidente do Município de Montalegre, Orlando Alves, do presidente da Junta de Freguesia de Salto, Alberto Fernandes, e da Diretora da Biblioteca Municipal de Montalegre, Gorete Afonso. 



Com chancela da Editora Converso, o livro traduzido para português e francês pelo docente Paulo Teixeira, e prefaciado pelo pensador Eduardo Lourenço, reúne memórias, testemunhos e mais de centena e meia de fotografias originais da maior importância para a história portuguesa do último meio século












No decurso da sessão promovida pela Associação Recreativa e Cultural das Minas da Borralha, e que esteve a cargo do antropólogo João Azenha, coordenador do Centro Interpretativo das Minas da Borralha-Ecomuseu do Barroso, quer o autarca montalegrense e como o responsável cultural assinalaram a importância da obra no contexto da história da emigração portuguesa. Realçando o simbolismo da apresentação da mesma numa antiga localidade mineira que é fortemente marcada pelo fenómeno migratório.














Refira-se que na próxima quinta-feira (12 maio), o livro será apresentado no Consulado de Portugal em Paris, às 18h30, numa sessão aberta à numerosa comunidade portuguesa radicada na capital francesa, e que contará com a presença do fotógrafo que seguiu durante trinta anos a vida dos portugueses em França.

Sem comentários: