Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Prémio Literário A.Lopes de Oliveira /C.M.Fafe atribuído a monografias de Marta Lobo e Daniel Bastos

O Júri do Prémio Literário A. Lopes de Oliveira/Câmara Municipal de Fafe – Estudos Histórico-Sociais de Âmbito Local ou Regional e respeitante a obras publicadas nos anos de 2011 e 2012, reunido esta segunda-feira, deliberou declarar vencedoras as obras Filha casada, filha arrumada: a distribuição de dotes de casamento na Confraria de São Vicente de Braga (1750-1870), de Maria Marta Lobo de Araújo e Santa Casa da Misericórdia de Fafe – 150 anos ao serviço da Comunidade (1862-2012), de Daniel Bastos, que assim repartem o valor do prémio, nos termos do regulamento.
 


O Júri integrou os Professores José Viriato Capela, docente da Universidade do Minho, José Carlos Meneses e João Carlos Pascoinho, ambos docentes do Instituto de Estudos Superiores de Fafe.

Presidiu, em representação da Câmara, nos termos do regulamento, Artur Coimbra, Chefe da Divisão de Cultura, Desporto e Juventude.

O Prémio Literário A. Lopes de Oliveira/Câmara Municipal de Fafe – Estudos Histórico-Sociais de Âmbito Local ou Regional é atribuído de dois em dois anos e visa estimular a publicação de estudos histórico-sociais das realidades de determinada localidade ou região portuguesa, na perspetiva de valorizar um setor de investigação de crescente importância, no quadro do aprofundamento da matriz regional e local do nosso país.

Nos termos do regulamento, o valor do prémio é dividido em duas frações iguais, sendo uma para distinguir as obras dirigidas ao território e aos temas fafenses, premiando o investimento sobre o local, enquanto a outra se dirige a estudos sobre as outras localidades e/ou regiões.

A cerimónia de entrega do Prémio ocorre no próximo dia 25 de abril, no âmbito da sessão solene comemorativa da efeméride.

 

Sem comentários: