Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Poema - Um dia partiremos para Isla Negra


Com o aproximar do 43.º aniversário da morte do poeta e Nobel da Literatura Pablo Neruda, que morreu a 23 de setembro de 1973, um dos maiores poetas da literatura contemporânea, revivo o poema  “Um dia partiremos para Isla Negra”, uma das residências de Pablo Neruda, simbolicamente revisitadas no meu livro de poesia “Terra” magnificamente ilustrado pelo mestre-pintor Orlando Pompeu.

 
Orlando Pompeu - Um dia partiremos para Isla Negra


Um dia partiremos para Isla Negra 


Companheiros, enterrem-me na Isla Negra 
 Pablo Neruda, Canto Geral


Um dia partiremos para Isla Negra
paraíso de areia branca
e escarpas alpestres
adornadas de flores silvestres,
onde nos aguarda de braços abertos
o poeta que decantou o amor
proclamando sílabas tónicas de afetos.
Partiremos orientados pelos astrolábios
envelhecidos pelo tempo que passou
e ouviremos nos búzios ao amanhecer
o som das ondas a acariciarem o areal
dissolvendo os rastros das nossas pegadas
no sal da vida que continuará a renascer…


Daniel Bastos, “Um dia partiremos para Isla Negra”, in Terra.

Sem comentários: