Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

N. S. de Guadalupe congregou centenas de fiéis em Cepães

Realizou-se no fim-de-semana passado, 4 e 5 de Junho, as Festas em Honra de N. S. de Guadalupe, a principal festividade religiosa da freguesia de Cepães. O programa festivo alusivo à “protectora da lavoura” de Cepães principiou no sábado de manhã com a entrada na povoação do Grupo de Zé-pereiras de Vila Nova de Infantas, cuja arruada de tocadores de bombos e tambores anunciaram a abertura dos festejos.
As solenidades no sábado, que incluíram à tarde uma celebração eucarística, contemplaram à noite a realização do vetusto Sermão e Procissão de Velas de S. Tiago em direcção à Igreja Paroquial que foi engalanada pela Fanfarra do Corpo Nacional de Escutas de Golães e incorporada por centenas de devotos marianos. 
Igreja Paroquial de Cepães
Andor de N.S. de Gudalupe no interior da Igreja Paroquial de Cepães

            À noite a dimensão religiosa e profana das solenidades entrecruzaram-se com um concerto e baile popular impulsionado pela actuação do agrupamento musical “Fábio Gil”, que animou a noitada dos muitos presentes que foram deleitados por uma bonita sessão de fogo-de-artifício que resplandeceu no céu de Cepães.
No domingo de manhã, as festividades foram retomadas com duas eucaristias dominicais abrilhantadas por um Grupo de Cantoras e o Grupo Coral do C.C.R. da Juventude de Cepães, e pela chegada da Banda de Música de Perafita que percorreu as ruas da freguesia. Ao inicio da tarde além da actuação da Banda de Música de Perafita destacou-se também a chegada da Fanfarra de Serzedo.
Durante a tarde decorreu a grandiosa procissão de N. S. de Guadalupe, que uma vez mais assumiu-se como uma impressionante manifestação de fé e devoção popular que congregou centenas de pessoas oriundas do concelho e da região. A procissão em oração foi conduzida pelo pároco de Cepães, Pe. José Marques, e adornada pelos tradicionais andores e anjinhos que funcionaram como expressivas alegorias religiosas. 
Fanfarra

Figurino adulto na procissão

Procissão de N.S.de Guadalupe I

Procissão de N.S.de Guadalupe II

Procissão de N.S.de Guadalupe III

Procissão de N.S.de Guadalupe IV

Banda de Música na Procissão de N.S.de Guadalupe

Pálio na Procissão de N.S.de Guadalupe

As cerimónias festivas que se prolongaram pela noite dentro, com a actuação da Banda de Música e do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Cepães, difusor do património etnográfico da freguesia, contemplaram ainda uma singela sessão de fogo-de-artifício. No final das festividades, o Pe. José Marques aproveitou o ensejo para “agradecer a amizade e generosidade de todos os que colaboraram e contribuíram para a realização da tradicional Festa de N. S. de Guadalupe cuja fé contribui para o aproximar das pessoas”.

Sem comentários: