Morgado de Fafe

O Morgado de Fafe, personagem literária consagrada na obra camiliana, demanda uma consciência crítica contra uma visão de sociedade enfeudada em artificialismos. A figura do rústico morgado minhoto marcada pela dignidade, honestidade, simplicidade e capacidade de trabalho, assume uma contemporaneidade premente, nesse sentido este espaço na blogosfera pretende ser uma plataforma de promoção de valores, de conhecimento e de divulgação dos trabalhos, actividades e percurso do escritor e historiador Daniel Bastos.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Arciprestado de Fafe promoveu 34.º Encontro Anual dos Grupos Corais Litúrgicos


Realizou-se no fim-de-semana de 12 e 13 de Julho, na Igreja Nova de São José, o 34.º Encontro dos Grupos Corais Litúrgicos organizado pelo Arciprestado de Fafe, no âmbito das festividades em honra de Nossa Senhora de Antime.
 
A iniciativa, que atraiu profusamente os fiéis da comunidade local, contou com a participação de doze Grupos Corais das Paróquias de Fafe, designadamente, o Grupo Coral de Antime, o Grupo Coral de Armil, o Grupo Coral “Amiguinhos de Jesus” (Arões S. Cristina), o Grupo Coral Juvenil “Criar Asas” (Santa Eulália de Fafe), o Grupo Coral de Cepães, o Grupo Coral, Cultural e Recreativo de Medelo, o Grupo Coral “Nossa Senhora das Graças” (Travassós), o Grupo Coral da Igreja do Sagrado Coração de Jesus (Paróquia de Fafe), o Grupo Coral de Fornelos, o Grupo Coral de Quinchães, o Grupo Coral de S. Gens, e o Grupo Coral “Santa Eulália” (Paróquia de Fafe), que abrilhantaram a tradição musical da Igreja enquanto meio e instrumento de louvor divino.

 
 
Refira-se que o Encontro dos Grupos Corais Litúrgicos organizado pelo Arciprestado de Fafe foi instituído em 1979 pelo saudoso cónego Leite de Araujo, que nesse ano levou a efeito o primeiro Encontro de Grupos Corais. Tendo logo ficado estabelecido que tal encontro seria para continuar todos os anos, devendo ter lugar nos dois dias (sexta-feira e sábado) que antecedem a Festa da Senhora de Antime.

A iniciativa, em honra de Nossa Senhora de Antime, assume-se igualmente como uma perene homenagem ao cónego Leite de Araujo, uma figura incontornável no desenvolvimento social e religioso da comunidade fafense.

Sem comentários: